Contate-nos
pelo site
Rua: Quintino Bocaiúva, 463
Centro - Ribeirão Preto/SP

16 3043 2711
16 99197 9114

blog desenvolvere

OBESIDADE INFANTIL: UM PROBLEMA NOSSO!

obesidade-infantil

6 DE janeiro DE 2016 - 00:00

O combate à obesidade infantil é considerado um dos maiores desafios para a saúde pública no século XXI. Trata-se de um problema crescente ao nível mundial, que afeta não só os países ricos, mas também países de baixo ou médio rendimento.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que somente no Brasil a obesidade avançou cerca de 240% nas últimas duas décadas. Já a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia indica que no país 6,7 milhões de crianças apresentam esse problema. Por outro lado a Sociedade Brasileira de Pediatria identifica que o índice de crianças obesas passou de 3% para 15% nos últimos 30 anos.

É comprovado cientificamente que crianças com sobrepeso e obesidade têm a autoestima comprometida, se sentem incapazes e inferiores, têm dificuldade de expor a criatividade e os sentimentos, sofrem piadas e provocações dos colegas, além de maiores chances de distúrbios de ansiedade e depressão.

O QUE É A OBESIDADE INFANTIL?
A obesidade é uma doença que se caracteriza pelo excesso de gordura no corpo em quantidades capazes de prejudicar a saúde. Quando ocorre entre o nascimento e o início da adolescência é chamada obesidade infantil.

A obesidade é considerada uma doença crônica porque não tem uma cura definitiva e deve ser controlada durante toda a vida. Isso quer dizer que, mesmo que uma criança obesa seja tratada e emagreça, terá sempre tendência a engordar novamente.
A grande maioria das crianças e adolescentes obesos têm a chamada obesidade nutricional, ou seja, engordam porque comem mais do que necessitam. Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, são raras as situações em que as crianças e os adolescentes apresentam obesidade por outros motivos, como doenças ou a utilização de medicamentos.

A melhor e mais eficaz de aumentar o gasto de energia consumida com a alimentação é através da atividade física.
Entretanto é fundamental ressaltar, que existem alguns fatores relacionados com a gravidez, fatores genéticos, hábitos alimentares dos próprios pais e dos hábitos de sono da criança, que devem ser observados e levados em consideração na hora de prevenir ou tratar a obesidade infantil.

FATORES RELACIONADOS COM A GRAVIDEZ:
• Obesidade materna no início da gravidez;
• Ganho de peso excessivo da mãe durante a gravidez;
• Fumo do tabaco durante a gravidez;
• Diabetes não controlada durante a gravidez.

FATORES RELACIONADOS COM A ALIMENTAÇÃO:
• Aleitamento com mamadeira primeiros meses de vida;
• Introdução de novos alimentos além do leite materno ou do leite de substituição antes dos 4 meses de vida;
• Não reconhecimento ou desrespeito aos sinais de fome ou de que a criança está satisfeita;
• Baixo consumo de frutas e vegetais;
• Consumo frequente de alimentos ricos em calorias e de baixo valor nutritivo, como bolos, doces, chocolates, salgadinhos, entre outros;
• Consumo frequente de bebidas açucaradas, como refrigerantes, sucos de caixinhas e leites aromatizados;
• Consumo excessivo de calorias;
• Consumo regular de refeições fora de casa;
• Consumo regular de alimentos fora das refeições;
• Disponibilidade excessiva de alimentos ricos em calorias e de baixo valor nutritivo em casa ou em outros ambientes que a criança frequente com regularidade;
• Pressões para comer toda a refeição servida ou determinados alimentos;
• Utilização de alimentos como recompensa, conforto ou para conseguir que a criança faça ou coma algo em troca.
Fatores relacionados com a atividade física e o sono:
• Excesso de atividades sedentárias como ver televisão, usar computadores e jogar games;
• Pouca atividade física;
• Pouco acesso a espaços seguros e outros recursos que facilitem a prática da atividade física;
• Dormir menos horas que o necessário.

FATORES RELACIONAODS COM A FAMÍLIA E CUIDADORES (creches e jardins de infância)
• Obesidade dos pais;
• Obesidade em familiares próximos;
• Maus hábitos de alimentação e atividade física dos pais e pessoas mais próximas;
• Falta de conhecimento dos pais e outros cuidadores acerca da alimentação saudável.

Compartilhe

confira também

12 DE outubro

Obesidade

Copyright 2018 © Todos os direitos reservados

desenvolvido por Oranges